Home / Destaque / Philippe Coutinho faz golaço, mas Brasil só empata na estreia da Copa do Mundo
Foto: Reuters

Philippe Coutinho faz golaço, mas Brasil só empata na estreia da Copa do Mundo

Compartilhe:

Bastante badalado sob o comando de Tite, o Brasil não passou de um empate por 1 a 1 com a Suíça em sua estreia na Copa do Mundo da Rússia, neste domingo, na Arena Rostov. O time nacional abriu o placar com um belo gol de Philippe Coutinho no primeiro tempo e reclamou da omissão do árbitro de vídeo no segundo – no gol Zuber, que empurrou Miranda antes de cabecear para a rede, e em um suposto pênalti sofrido por Gabriel Jesus.

+ Messi perde pênalti, e a Argentina não passa de um empate com a Islândia na Copa do Mundo

Seja como for, o Brasil e a Suíça somaram 1 ponto no grupo E do Mundial e estão atrás da Sérvia, que, mais cedo, em Samara, estreou com vitória por 1 a 0 sobre a Costa Rica. Na sexta-feira, as quatro seleções voltarão a entrar em ação. Enquanto os brasileiros buscarão a reabilitação contra os costa-riquenhos em São Petersburgo, suíços e sérvios irão se enfrentar em Kaliningrado.

Golaço de Coutinho
Os semblantes sérios e tensos dos jogadores da Seleção Brasileira, entrando em campo por uma Copa do Mundo pela primeira vez após o vexame de quatro anos atrás, contrastava com a animação dos seus compatriotas nas arquibancadas da Arena Rostov. Ente o público, nem mesmo a interrupção prematura e protocolar do Hino Nacional cessou a cantoria.

Quando a bola rolou, o Brasil ainda não tinha entrado no clima dos seus torcedores. Os olhos marejados de Tite observaram a Suíça, famosa por sua histórica proposta de jogo defensiva, passar mais tempo com a bola nos pés nos primeiros minutos de partida. Com direito a uma concussão de Dzemaili, livre no meio da área, para fora.

Com o seu novo penteado – um topete loiro, caprichosamente penteado –, Neymar tentou se encarregar de começar a chamar a atenção não apenas pelo visual. O astro da Seleção Brasileira foi quem começou a carregar a bola do campo defensivo para o ataque, por vezes até com individualismo, e recebeu um puxão de camisa e um sorriso irônico de Dzemaili.

O Brasil não se intimidou. Aos 10 minutos, o time de Tite criou a sua primeira grande oportunidade de gol. Neymar foi acionado por Coutinho do lado esquerdo da área e fez o cruzamento. Schar se atrapalhou com a bola, e Paulinho, que começava a aparecer bem ofensivamente, finalizou sem precisão. O goleiro Sommer defendeu com a ponta dos dedos, mas a arbitragem assinalou tiro de meta.

Aos 19 minutos, por mais que se esticasse, Sommer não alcançaria a bola. Philippe Coutinho dominou fora da área depois de a defesa suíça cortar um cruzamento de Marcelo e fez a sua jogada característica – carregou da ponta esquerda para dentro e bateu cruzado. Acertou o ângulo, marcando um golaço, o primeiro da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Rússia.

A vantagem no marcador empolgou os brasileiros na Arena Rostov. “O campeão voltou!” era o grito que ecoava no estádio, audível nas transmissões televisas mundo afora. Igualmente à vontade na partida, a Seleção Brasileira diminuiu o ritmo nos minutos finais do primeiro tempo, possibilitando que a Suíça ficasse mais tempo com a bola nos pés.

Cadê o árbitro de vídeo?
A acomodação, desta vez defensiva, custou caro no princípio do segundo tempo. Logo aos quatro minutos, a bola foi alçada na área brasileira em cobrança de escanteio, e Zuber subiu sozinho para empatar a partida. O suíço empurrou o estático Miranda antes de cabecear a bola, e os comandados de Tite pediram a anulação por intermédio do árbitro de vídeo, que não entrou em ação.

Era apenas a sexta vez sob o comando de Tite que o Brasil precisava se recompor após sofrer um gol. O técnico tentou ajudar com a entrada de Fernandinho no lugar de Casemiro, que deixou o campo depois de tentar encurtar o caminho para o gol com um chute de longa distância, direto para fora. A intenção era melhorar a saída de jogo da Seleção, ineficiente na etapa complementar.

A ideia de Tite não surtiu muito efeito, e o técnico resolveu agir outra vez. De novo, mexeu no setor de contenção do meio-campo, trocando Paulinho por Renato Augusto. E, aos 24 minutos, chegou a esboçar a comemoração do segundo gol. Neymar lançou Philippe Coutinho, que matou no peito dentro da área e limpou a marcação, mas finalizou torto, para fora.

Aos 27 minutos, Renato Augusto criou a sua primeira situação de gol na partida. O representante do futebol chinês na Seleção Brasileira girou e enfiou a bola para Gabriel Jesus, que reclamou de ter sido agarrado por Akanji dentro da área. O árbitro mexicano César Ramos mandou o jogo seguir e voltou a abrir mão do árbitro de vídeo, revoltando a equipe nacional.

Gabriel Jesus saiu do gramado em seguida, substituído por Roberto Firmino. Modificado, o Brasil passou a pressionar a Suíça à base do desespero nos minutos finais, já sem muita organização tática. Neymar, por exemplo, queria decidir o jogo sozinho. E não era capaz. Nos acréscimos, Fernandinho e Miranda ainda desperdiçaram boas oportunidades de gol.

GAZETA ESPORTIVA

 

Leia mais notícias do Esporte

Veja outras notícias em catoleagora.com

Siga a página Catolé Agora no Facebook

Para anunciar no Portal: WhatsApp (83) 9.9676-1272

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.