Home / Esporte / Dorival Júnior é demitido pelo São Paulo
Foto: Marcos Ribolli

Dorival Júnior é demitido pelo São Paulo

Compartilhe:

Dorival Júnior não é mais o técnico do São Paulo. A pressão que era grande há algumas semanas se tornou insustentável após a derrota por 2 a 0 no clássico contra o Palmeiras, quinta-feira, na arena do rival, pelo Paulistão. O antigo comandante do Tricolor receberá como multa rescisória três salários (um de rescisão e mais dois).

O comandante foi demitido após uma reunião da diretoria nesta sexta-feira. André Jardine, treinador da equipe sub-20, assume interinamente a função e vai dar o treino desta tarde, no CT da Barra Funda. Ele vai dirigir a equipe domingo, no Morumbi, contra o RB Brasil. Além de Dorival, também saem os auxiliares Lucas Silvestre e Leonardo Porto. O restante da comissão permanece.

+ Sousa vence o Botafogo/PB e abre vantagem; Auto Esporte cede empate ao Atlético/PB

Dorival aceitou a decisão com tranquilidade. O técnico entende ter dado o seu melhor na passagem que começou em julho de 2017. Ele conseguiu evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro do ano passado, mas nunca contou com aprovação geral da torcida.

– Eu fico satisfeito com tudo o que recebi do São Paulo. Um agradecimento especial a todos. E a maneira como nós tentamos fazer o nosso melhor para que o São Paulo pudesse encontrar um caminho. É um fator normal, corriqueiro. Agradecimento diferenciado ao Raí, que assume aí um novo cargo, uma nova situação, um novo pensamento. É uma pessoa correta, como foi também o presidente e toda a diretoria, como foi o Vinicius no ano passado. Só tenho a agradecer a oportunidade que eu tive. Tentei fazer o meu melhor pelo São Paulo. Acho que esse é o caminho. A reciprocidade existe e são fato que temos de passar na vida. Foi uma conversa normal. Nós deixamos uma bela base e não tenho dúvida. O tempo vai dizer – disse Dorival, na saída do CT.

A campanha no estadual (cinco derrotas em 11 jogos) e a oscilação da equipe durante os jogos foram alguns dos motivos para a queda de Dorival. Na avaliação da direção, o time vinha rendendo muito menos do que poderia.

O treinador, por sua vez, também já mostrava certa insatisfação, principalmente por não ter seus pedidos atendidos durante o período de contratações. Em uma de suas entrevistas, Dorival deixou claro que não havia pedido as chegadas de Nenê e Tréllez e que trabalhava com outros nomes.

No fim de fevereiro, o executivo de futebol Raí disse que o técnico tinha autonomia para escalar a equipe, além de “extrair o melhor de todos e alcançar um melhor desempenho coletivo”. Era uma espécie de aviso de que, se não houvesse reação, o futuro estaria em xeque.

A derrota e a atuação do São Paulo no clássico contra o Palmeiras foram determinantes para a mudança de comando. O Tricolor teve péssimo desempenho no primeiro tempo e acabou facilmente dominado pelo rival. Foi a terceira derrota em três clássicos na temporada.

G1

Leia mais notícias do Esporte

Veja outras notícias em catoleagora.com

Siga a página Catolé Agora no Facebook

Para anúncios ou informações: WhatsApp (83) 9.9676-1272

Deixe um Comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.