Home / Geral / Heron Cid: Menos barulho e Mais Médicos

Heron Cid: Menos barulho e Mais Médicos

Compartilhe:

Está mais do que claro de que a concepção do programa Mais Médicos foi mais de colaboração político-ideológica do que convênio de cooperação em saúde.

+ Supremo prepara compra de carros blindados para ministros

A forma sigilosa como o governo de então, comandado pela ex-guerrilheira Dilma Roussef, tratou toda a negociação, que ao final mandava cerca de R$ 60 milhões/mês para a Ditadura dos Castro a título de “investimentos” no sistema de saúde cubano.

O “viés ideológico”, para usar um termo bem difundido pelo presidente eleito, fica ainda mais evidente na forma como Cuba rompeu, unilateralmente, o acordo, sob o argumento de não aceitar novas regras sinalizadas.

Impasse formado, em que pese a contribuição inestimável da presença dos médicos da Ilha nos grotões brasileiros, o problema que fica é do Brasil e são os brasileiros que devem equacionar.

O Mais Médicos, importante programa criado por Dilma e que conta com profissionais de várias partes do mundo, não pode e nem vai acabar. A saída dos cubanos não decreta o fim dele, mas o recomeço – agora com novos moldes.

Tanto que o novo edital aberto pelo Governo Federal precisou ser ser prorrogado em razão da alta demanda de inscritos.

Novos médicos chegarão e suprirão a falta dos que estão de melancólica partida do Brasil, muitos dos quais desejosos de ficar para sempre e nunca mais voltar, não fossem o fato de suas famílias estarem impedidas, numa estratégia da Ditadura de Cuba.

Mas nem de longe podemos cair na ilusão simplista de resumir o desafio da saúde ao número de profissionais médicos. O buraco é mais embaixo e vai da atenção básica, atendida pelo programa, aos hospitais e alta complexidade.

Portanto, superado o debate ideológico, em parte alimentado pela revanche da eleição que ainda não acabou, o que o Brasil e os brasileiros querem, por ora, é menos barulho político e Mais Médicos.

HERON CID

Leia mais notícias gerais

Veja outras notícias em catoleagora.com

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.