Home / Destaque / Homem atira contra multidão e deixa mais de 50 mortos e centenas de feridos nos EUA

Homem atira contra multidão e deixa mais de 50 mortos e centenas de feridos nos EUA

Compartilhe:

Pelo menos 59 pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas após um homem atirar do 32º andar do Mandalay Bay, um famoso cassino e resort de Las Vegas (EUA), contra uma multidão em um festival de música na noite deste domingo (horário local, madrugada desta segunda em Brasília). A ação já é considerada o maior ataque a tiros da história dos Estados Unidos.

+ Forte terremoto deixa mais de 240 mortos e derruba vários prédios no México; FOTOS

O massacre foi reivindicado pelo Estado Islâmico. O atirador, identificado como Stephen Paddock, de 64 anos, teria jurado lealdade ao grupo há alguns meses, segundo a Reuters, citando a agência Amaq, que é ligada aos extremistas.

No entanto, o FBI, a polícia federal americana, afirma que não foi encontrada nenhuma evidência de conexão de Paddock com grupos terroristas internacionais. Mais cedo, o xerife da polícia de Las Vegas, Joseph Lombardo, disse acreditar que não se trata de um atentado terrorista e afirmou que o atirador era um morador local, um “lobo solitário”.

A primeira informação oficial era de que o suspeito havia sido morto por policiais. Mais tarde, no entanto, Lombardo afirmou que o atirador se matou antes da chegada das forças de segurança. Com ele, foram encontrados 10 rifles.

Paddock teria começado a atirar por volta das 22h (horário local; 1h desta segunda, no horário de Brasília), na direção do Route 91 Harvest Festival, um festival de música country ao ar livre. Mais de 22 mil pessoas estavam no local. O número de vítimas ainda pode aumentar.

A polícia chegou a dizer que uma mulher chamada Marilou Danley, de origem asiática, tinha viajado com o suspeito. Pouco depois, investigadores informaram que ela “não é mais procurada”. “Investigadores fizeram contato com ela e não acreditam que ela esteja envolvida com o tiroteio”, disse a polícia em nota. Agentes procuram um Tucson, com placa de Nevada, que teria sido usado pelo atirador.

O site Gun Violence registra uma estatística de 272 grandes tiroteios nos Estados Unidos no decorrer deste ano, sem considerar ainda o de Las Vegas. Relembre os maiores ataques no país.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou o ataque “um ato de pura maldade”. Ele também prestou condolências às vítimas e às famílias “no terrível tiroteio em Las Vegas”. “Deus abençoe vocês”, afirmou no Twitter.

Atirador

Quem é o atirador

Stephen Paddock, o homem de 64 anos que matou 58 pessoas e feriu mais de 500 durante um festival de música em Las Vegas (EUA), era um aposentado sem histórico criminal no estado de Nevada, onde vivia atualmente, segundo informações da polícia reproduzidas pela agência Associated Press.

Eric afirmou que o atirador não tinha qualquer vínculo político ou religioso. “Nada. Nenhuma afiliação religiosa, política. Ele só saía para passear”, disse. “Era apenas um cara normal. Algo se rompeu nele, algo aconteceu”, sugeriu.

O irmão disse que o atirador costumava viajar para Las Vegas para assistir a shows e apostar nos cassinos. “Ele não era um cara louco por armas, de modo algum”, comentou. “Onde diabos ele arrumou essas armas automáticas? Ele não tinha antecedentes militares, ou nada disso”, acrescentou.

“Ele era um cara que vivia em uma casa em Mesquite, dirigia até aqui e apostava em Las Vegas. Fazia coisas. Comia burritos”, completou seu irmão, ainda perplexo.

Segundo com as autoridades de Nevada, Stephen agiu sozinho, e a motivação para o ataque ainda é desconhecida.

Como ocorreu o ataque

O motivo do ataque deste domingo ainda é desconhecido. Stephen Paddock teria disparado contra a multidão com o que parecem ser armas automáticas. Testemunhas disseram à rede CNN que o som era semelhante ao de fogos de artifício e também ao de vidro quebrando.

Uma testemunha contou que viu um homem ferido no pescoço “e, depois, as pessoas começaram a cair como moscas”.

O cantor Jason Aldean, que conseguiu escapar, estava no palco quando os espectadores ouviram as primeiras rajadas de tiros. Em poucos segundos, a música parou de tocar. Em um vídeo, uma mulher fala “abaixa, fica abaixado” pouco depois da interrupção da música, e um clima de confusão domina o local. Menos de um minuto depois é possível ouvir novos disparos.

Muitas pessoas correram na tentativa de se proteger dos disparos. Elas buscaram abrigo em hotéis, restaurantes e no aeroporto McCarran.

Vários vídeos do momento dos disparos foram divulgados nas redes sociais. No entanto, a polícia pediu que as pessoas não transmitissem pela internet ou compartilhassem posições táticas de agentes de segurança no local do ataque. “Pode colocá-los em perigo.”

Segundo nota da polícia, um agente que estava fora de serviço é um dos mortos no ataque. Dois policiais ficaram feridos – um deles estava em estado crítico, mas já estabilizou.

O Las Vegas Boulevard e a rodovia I15 foram fechadas para tráfego de veículos, e a polícia pediu que a área seja evitada.

A área em torno da casa do atirador Stephen Paddock, na cidade de Mesquite, Nevada, foi bloquada pela polícia local, segundo a imprensa.

Resumo

  • Tiros foram disparados durante show de música country que reunia 22 mil
  • Atirador disparou para baixo, do 32º andar de hotel; motivo é desconhecido
  • Atirador suicidou-se e foi achado já morto pela polícia, que arrombou quarto
  • Atirador, Stephen Craig Paddock, 64, era de Mesquite, Nevada
  • Trata-se do maior ataque a tiros da história dos EUA
  • Até o momento 59 mortos e 527 feridos
  • A polícia encontrou pelo menos 10 rifles no quarto utilizado por Paddock para cometer o crime.

 G1

© Leia mais notícias em www.catoleagora.com, ou siga a página Catolé Agora no Facebook.

Para informações ou anúncios, entre em contato com o Portal Catolé Agora pelo WhatsApp: (83) 9.9676-1272

Veja Também

Inspeção veicular será obrigatória no país até o fim de 2019

Agora é oficial. A inspeção veicular voltará a ser obrigatória, mas dessa vez em todo ...

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.