Home / Destaque / Homem pega infecção grave após tomar banho descalço em academia

Homem pega infecção grave após tomar banho descalço em academia

Compartilhe:

Um homem do Texas, que teve sua identidade preservada, afirmou ter contraído uma infecção de pele grave após ter tomado banho descalço em uma academia.

+ Obesidade abdominal gera mais risco de AVC isquêmico em mulheres, diz estudo

Ele precisou passar por cirurgias de enxerto de pele para reparar as feridas abertas que consumiram seu pé. Com informações do Daily Mail. Agora, após ter passado pela cirurgia de enxerto, que foi feita com escamas de peixe, o homem compartilha as fotos de seu caso na esperança de aumentar a conscientização das pessoas em relação aos perigos que se escondem nos banheiros públicos.

Segundo consta, ele treinava todos os dias durante seu horário de almoço em uma academia local, uma vez que sua intenção era se preparar para correr uma maratona. “Houve algumas ocasiões em que eu deixei de levar meus chinelos que usava quando tomava banho, mas, como não queria voltar para o trabalho suado e fedorento, tomei a decisão de entrar no chuveiro descalço“, contou.

Alguns dias depois, ele notou o aparecimento de uma marca rígida no pé esquerdo que logo começou a coçar. Informado de que poderia ser uma verruga plantar – um tumor de pé benigno causado pelo HPV (papilomavírus humano) – tentou tratá-la com remédios que encontrou na internet. “Tentei fita adesiva, cascas de banana, vinagre e tratamentos com ácido sem sucesso”, disse. “Só depois de minha corrida, seis meses depois, fui ver um médico”.

Segundo ele, o médico começou a tratar a verruga com cantaridina, uma substância extraída do besouro que faz com que o corpo reconheça a infecção como tal e tente combatê-la. Então, toda semana o especialista cortava a pele com bolhas e aplicava a pomada feita à base da substância. Contudo, o vírus começou a se espalhar. A verruga, outrora única, havia se transformado em cinco, e nenhum tratamento estava mais funcionando.

“Todo o meu pé estava inchado e a dor era tão ruim que eu não conseguia andar”, disse. “Eu não podia nem ao menos colocar a perna para baixo que o sangue que corria causava uma dor excruciante”. Então, após meses de sofrimento, ele decidiu se submeter a uma cirurgia em fevereiro de 2017. Para o procedimento, os médicos utilizaram enxertos de escamas de uma espécie de bacalhau encontrado no Atlântico Norte.

Mesmo passados dois meses da cirurgia, ele ainda precisará de mais tempo até que as feridas cicatrizem completamente e possa voltar a andar. Agora, ele se dedica a alertar as pessoas para que não cometam o mesmo erro que ele. “Faça um favor a si mesmo, use chinelos em qualquer área pública que contenha água”, disse. “Esse vírus prospera nesses lugares. E o mais assustador é que ele pode viver por mais de dois anos em uma superfície”. “Cuide de seus pés para que eles cuidem de você”, acrescentou.

JORNAL CIÊNCIA

Leia mais notícias em catoleagora.com

Siga a página Catolé Agora no Facebook

Para anúncios ou informações: WhatsApp (83) 9.9676-1272

Deixe um Comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.