Home / Mundo / Incêndio mais letal da história da Califórnia deixa mais de 40 mortos
Foto: Nasa/Cortesia à Reuters

Incêndio mais letal da história da Califórnia deixa mais de 40 mortos

Compartilhe:

O número de mortos nos incêndios florestais no norte e no sul da Califórnia, nos Estados Unidos, chegou a 44 nesta terça-feira (13).

+ Homem dispara contra fiéis em sinagoga e deixa pelo menos oito mortos, nos EUA

Desse total, 42 morreram na tragédia que recebeu o nome de Camp Fire, na parte norte do estado norte-americano. É o maior incêndio da história da Califórnia, afirmam as autoridades locais.

Veja os números do incêndio:

  • 505,86 km² – É a extensão da área queimada pelo Camp Fire, segundo a Nasa. O número equivale a cerca de um terço do município de São Paulo ou pouco mais de toda a área de Porto Alegre. Até esta terça-feira, só 30% foi controlado.
  • 7,6 mil – Número de construções destruídas pelo incêndio, o que torna o Camp Fire o mais destrutivo da história da Califórnia, segundo o “New York Times”. Desse total, 6.453 eram casas de família.
  • 42 mortos – Número de mortos apenas no Camp Fire. Com o incêndio no sul da Califórnia, perto de Malibu, o total de pessoas que morreram nas queimadas no estado chegou a 44;
  • 228 desaparecidos – Alto número de desaparecidos deve elevar o número de mortos nos incêndios;
  • 27 mil habitantes – Viviam em Paradise, cidade no norte da Califórnia completamente destruída pelo incêndio.

O Camp Fire afeta uma ampla região do condado de Butte, na cordilheira Sierra Nevada. O local atingido fica ao norte da capital do estado, Sacramento.

Até então, o incêndio que atingiu o Griffith Park (Los Angeles), em 1933, tinha deixado 29 mortos era considerado o mais letal da história da Califórnia, de acordo com o Departamento de Bombeiros da Califórnia (Cal Fire).

O tempo seco e os fortes ventos contribuíram para a propagação das chamas dos últimos dias. As causas dos incêndios são investigadas.

Outros incêndios ativos

O incêndio Woolsey, no sul do estado, destruiu 37 hectares nos condados de Ventura, destruindo 435 imóveis. Duas pessoas morreram. Cerca de 30% foi contido.

Na região fica a cidade de Malibu, residência de várias estrelas de Hollywood – e de Los Angeles, ao sul do estado. No sábado (10), famosos como Lady Gaga, Kim Kardashian e Guillermo del Toro tiveram que abandonar suas casas.

O ator Gerard Butler postou que sua casa em Malibu ficou completamente destruída pelas chamas.

O Hills Fire atingiu um pouco mais de 1,6 hectares. Ele permanece ativo, mas os bombeiros conseguiram controla 85% dele.

Trump

Na segunda-feira, o presidente americano, Donald Trump, aprovou a solicitação da Califórnia para declarar os incêndios um “desastre de especial gravidade”. Assim, o governo federal oferecerá aos afetados ajuda financeira para alojamento, desemprego, despesas legais e tratamento psicológico.

“Acabo de aprovar a solicitação de Desastre de Especial Gravidade para o estado da Califórnia. Queria responder rápido para aliviar um pouco esse incrível sofrimento. Estou com vocês. Deus abençoe todas as vítimas e famílias afetadas”, escreveu o governante na sua conta do Twitter.

Anteriormente, Trump acusou as autoridades locais de má gestão florestal. “Não há motivos para estes incêndios grandes e mortais na Califórnia, exceto que a gestão florestal é muito ruim”, escreveu Trump no Twitter no sábado.

“Bilhões de dólares são dados a cada ano, com tantas vidas perdidas, tudo por causa da má administração das florestas. Consertem agora ou não acontecerão mais pagamentos do Fed”, disse Trump.

Brian Rice, diretor dos Bombeiros Profissionais da Califórnia, classificou os comentários de “desinformados, inoportunos e humilhantes para aqueles que estão sofrendo”. Também disse que as afirmações do presidente sobre má gestão florestal “são perigosamente equivocadas”.

G1

Leia mais notícias do mundo

Veja outras notícias em catoleagora.com

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.