Home / Sem categoria / No retorno do Brasileiro, Corinthians reencontra vitória contra Botafogo
Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

No retorno do Brasileiro, Corinthians reencontra vitória contra Botafogo

Compartilhe:

O Corinthians recomeçou o Campeonato Brasileiro com um triunfo. Vindo de uma série de duas derrotas, para Bahia (1 a 0) e Flamengo (1 a 0), e dois empates, com Vitória (0 a 0) e Santos (1 a 1), antes de a competição entrar no recesso motivado pela Copa do Mundo da Rússia, o time de Osmar Loss reagiu e fez 2 a 0 sobre o Botafogo na noite desta quarta-feira, em Itaquera.

+ Botafogo-PB empata com o Remo no Pará e segue fora do G-4 na Série C

Conquistado com gols do meia Rodriguinho no primeiro tempo e do atacante Romero no segundo, o resultado fez o Corinthians alcançar os 19 pontos ganhos na tabela de classificação. O Botafogo ficou para trás, com 16.

Os Alvinegros paulista e carioca terão clássicos pela frente no sábado, contra rivais que disputam a liderança do Brasileiro. Enquanto o Corinthians irá ao Morumbi para enfrentar o São Paulo, o Botafogo jogará contra o Flamengo no Maracanã.

Golaço relâmpago
Boa parte do público ainda se acomodava nas arquibancadas quando o Corinthians abriu o placar diante do Botafogo. Aos quatro minutos, Romero recebeu a bola de Roger na intermediária, arriscou o chute e carimbou Joel Carli. Na sobra, Rodriguinho emendou de primeira e acertou o ângulo.

O gol deu tranquilidade ao time dirigido por Osmar Loss, que chamou o Botafogo ao seu campo e passou a apostar nos contra-ataques para ampliar o marcador. Defensivamente, o Corinthians sofria um pouco mais nos lances de bola parada – problema crônico –, como em uma falta cobrada por Léo Valencia em que Igor Rabello, livre, cabeceou por cima da meta, aos 11 minutos.

Quando avançava, o Corinthians quase sempre tinha as suas jogadas bem articuladas por Mateus Vital na ponta esquerda. O problema era que Roger, o mais acionado entre os homens de frente, apresentava as mesmas dificuldades técnicas que já tiraram a paciência de alguns torcedores. E, no meio, Rodriguinho tropeçava e errava passes, abusando dos créditos que o golaço no princípio da partida lhe assegurara.

Não eram com as falhas de Roger e Rodriguinho, contudo, que os corintianos estavam irritados. A birra com o árbitro Rodrigo D’Alonso começou quando Romero, entusiasmado para protagonizar jogadas de efeito, levou uma bronca e um cartão amarelo por supostamente ter simulado uma falta. E prosseguiu com outras marcações controversas do profissional.

Com sofrimento
Rodrigo D’Alonso foi e voltou do vestiário, no intervalo, sob ofensas exaltadas dos corintianos posicionados no setor oeste de Itaquera. O Botafogo, por sua vez, retornou para o segundo tempo com a expectativa de ao menos empatar a partida e uma mudança no ataque. O veterano Rodrigo Pimpão substituiu João Pedro.

Embora não chegasse a acuar o Corinthians, o Botafogo se mostrou perigoso com a alteração. Aos nove minutos, por exemplo, Pimpão recebeu inversão de jogo de Léo Valencia e, do lado direito da área, concluiu de primeira. Cássio saltou para fazer bela defesa e salvar a sua equipe de ser vazada.

Igor Rabello foi além e mandou a bola para a rede em novo levantamento de Léo Valencia, agora em cobrança de falta, surgindo sem marcação para completar. A liberdade era tanta que o zagueiro estava em posição de impedimento, para alívio dos torcedores do Corinthians.

Não satisfeito, o técnico Marcos Paquetá mexeu pela segunda vez no Botafogo, com Aguirre no lugar de Ezequiel. Muitos torcedores do Corinthians se manifestaram para que a resposta de Osmar Loss fosse com a entrada do xodó Pedrinho, porém o técnico preferiu apostar no estreante Jonathas e em Marquinhos Gabriel nas vagas de Roger e Mateus Vital.

Pouco depois, o Corinthians achou o seu segundo gol. Aos 30 minutos, Fagner recebeu a bola de Rodriguinho e fez boa enfiada para Romero. Do lado direito da área, o paraguaio girou bem o corpo para bater cruzado e trazer calma à maioria do público do estádio do qual é o artilheiro.

O Corinthians se fechou de vez a partir de então, com Paulo Roberto no posto de Renê Júnior, que fazia um jogo ruim. Já o Botafogo gastou a sua última ficha com Luiz Fernando, substituto de Léo Valencia. E encontrou Cássio inspirado. Quando Kieza finalizou, aos 40 minutos, o goleiro fez duas defesas impressionantes em sequência. O placar de 2 a 0 estava sacramentado.

GAZETA ESPORTIVA

Deixe um Comentário

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.