Home / Paraíba / Paraíba tem 2ª maior redução percentual do Brasil em casos de estupros, diz estudo
© Pixabay

Paraíba tem 2ª maior redução percentual do Brasil em casos de estupros, diz estudo

Compartilhe:

A Paraíba foi o segundo estado do Brasil que apresentou a maior redução na taxa de casos de estupro entre 2016 e 2017. O dado faz parte do Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2018, divulgado nesta quinta-feira (8). Conforme o estudo, a Paraíba apresentou uma redução de 21,8% da taxa, ficando atrás apenas do Acre, com uma diminuição de 25,4% da taxa.

+ Menina de dois anos morre afogada em balde no banheiro de casa, na PB

Em número absolutos, a redução foi de 99 casos, passando de 464 para 365 casos registrados. O anuário também apontou as tentativas de estupro. Neste caso, foi registrado um leve aumento, passando de 18 em 2016 para 20 em 2017, um aumento percentual de 10,4%.

Queda nas mortes violentas intencionais

Na questão das mortes violentas intencionais, a Paraíba também apresentou redução, a terceira maior queda do Nordeste, com 3,5% a menos dos casos, ficando atrás apenas de Sergipe (-12,9%) e Piauí (-7,6%). A taxa de mortes violentas passaram de 33,1 mortes por grupo de 100 mil habitantes, para 31,9, entre os anos de 2016 e 2017. Em números absolutos, a Paraíba registrou 1.280 em 2016 e 1.242 em 2017.

Mortes de policiais e por policiais

Mortes de policiais militares em serviço diminuíram entre 2016 e 2017, passando de 3 para 1. Por outro lado, as mortes fora de serviço aumentaram, passando de 4 para 5. Mortes decorrentes de intervenção policial também subiram, passaram de 22 para 30 entre 2016 e 2017.

Embora tenha aumento nos números, a Polícia da Paraíba é a quarta que menos mata, levando em consideração a proporção entre as mortes violentas intencionais em números absolutos e as mortes em decorrência de intervenção policial.

G1 PB

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.