Home / Política / Prefeito, ex-prefeita e ex-vereadores são denunciados por doações ilegais de terrenos na PB

Prefeito, ex-prefeita e ex-vereadores são denunciados por doações ilegais de terrenos na PB

Compartilhe:

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) ajuizou uma ação civil pública por improbidade administrativa contra a ex-prefeita do município de Guarabira, Maria de Fátima de Aquino Paulino, e mais 13 pessoas, entre ex-secretários municipais, ex-vereadores e empresários da base aliada da ex-gestora, acusados de se beneficiarem com doações ilegais de terrenos públicos. Entre os réus estão os ex-vereadores de Guarabira e os atuais prefeito e vice-prefeito do Município de Cuitegi, Murilo da Silva Nunes e Francisco Ednaldo de Souza Leite.

+ Justiça Federal condena ex-prefeito de Cajazeiras a pagar multa e suspende direitos políticos por 3 anos

Conforme explicou a promotora de Justiça Andréa Bezerra Pequeno de Alustau, os lotes de terrenos doados ilegalmente estão localizados às margens da Rodovia PB-055. No decorrer das investigações, foi verificado que as doações, que em princípio teriam ocorrido em 2007, foram feitas com data retroativa, depois da edição da lei Municipal nº 813/2008 (Código de Obras e Urbanismo), tendo sido escriturados, em bloco, em setembro de 2009, no Cartório de Registros de Imóveis de Araçagi.

Para a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Guarabira, a estratégia tinha como objetivo burlar a regras do zoneamento urbano de Guarabira estipuladas no Código de Obras e Urbanismo, o qual previa serem os lotes doados áreas de preservação permanente e sujeitos a obras de saneamento como condicionantes à construção.

Andréa Bezerra disse que as peculiaridades verificadas nos terrenos doados são diversas, mas todas com comprovação de ilegalidade. Foram detectados 10 lotes de terrenos com o termo de doação e a escritura registrada no cartório de Araçagi; um lote doado em copropriedade e escriturado no cartório Epaminondas, em Guarabira; um lote com termo de doação, sem escritura pública; e, por fim, lotes sem termo de doação ou escritura, mas que, segundo registros da Prefeitura, pertenceriam a particulares, através de doação.

“Verificou-se, ainda, o completo desrespeito aos princípios da Administração Pública, em especial, ao da impessoalidade e ao da finalidade, posto que os beneficiários estavam intimamente ligados aos vereadores da base aliada da prefeita promovida, ao vice-prefeito e aos servidores ocupantes de cargos de confiança, diretamente ligados a ela, seja por laços familiares, seja por vínculo profissional”, disse a promotora de Justiça.

Outras duas ações civis públicas por improbidade administrativa também foram ajuizadas pela promotoria, devido à identificação de 38 casos semelhantes, entre doações, concessões de alvará e de laudêmio, todos formalizados através de atos administrativos irregulares passíveis de nulidade, por causar dano aos cofres públicos e desrespeitar os princípios da legalidade, impessoalidade e moralidade administrativa.

A ação civil pública (de número 0802989-98.2017.8.15.0181) tramita na 4a Vara Mista de Guarabira. Nela, o MPPB requer a anulação de todos os atos de doação e consequente escritura dos terrenos públicos localizados na Rodovia PB-055, lavrados em nome de “laranjas”, mas que beneficiaram os promovidos na ação.

Além disso, a promotoria também requereu que o Judiciário reconheça os atos de improbidade administrativa praticados e que os 14 réus sejam condenados à perda da função pública eventualmente exercida, à suspensão dos direitos políticos, ao pagamento de multa civil e à proibição de contratar com o poder público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.

Réus na ação:

– MARIA DE FATIMA DE AQUINO PAULINO (ex-prefeita de Guarabira e atual servidora pública)

– MANOEL CLEMENTINO DE OLIVEIRA (ex-secretário de Finanças)

– JOSE AGOSTINHO SOUZA DE ALMEIDA (ex-vice prefeito e empresário)

– GEORGE VICTOR SILVA (ex-vereador e empresário)

– JOSE ANTONIO DE LIMA (ex-vereador e atual servidor público)

– MARIA ELIZABETH DA SILVA (ex-vereadora e empresária)

– FRANCISCO EDNALDO DE SOUZA LEITE (ex-vereador de Guarabira e atual vice-prefeito de Cuitegi)

– JOSE TOLENTINO DE ALUSTAU (vereador de Guarabira)

– OTONIEL BEZERRA BATISTA FILHO (ex-vereador e empresário)

– MURILIO DA SILVA NUNES (ex-vereador e atual prefeito de Cuitegi)

– GERSON CANDIDO DE FARIAS (ex-vereador)

– ADILSON LIMA DOS SANTOS (ex-servidor comissionado da Prefeitura de Guarabira e empresário)

– RAIMUNDO MARINHO DE LUCENA (contador e ex-secretário municipal de Guarabira)

– ANTONIO ALVES FILHO (ex-servidor comissionado da Prefeitura de Guarabira e empresário).

O outro lado

O deputado Raniery Paulino (PMDB) disse que a ex-prefeita de Guarabira, Maria de Fátima de Aquino Paulino, vai responder na justiça a ação de improbidade administrativa ajuizada na Justiça pelo Ministério Público contra sua mãe, por doação de terrenos.

“Ela é acusada de doar terrenos, mas não de levar nada para casa”, declarou o deputado ao lembrar que na área foram construídas 500 unidades habitacionais para a população pobre.  “reduziu o déficit habitacional em Guarabira”, assegura.

 Raniery Paulino disse que a sua genitora, Fátima Paulino tomou por base uma lei de 2004, editada pela então prefeita Léa Toscano (PSDB) para fazer a doação dos terrenos para agentes políticos de Guarabira. “Tudo será esclarecido na Justiça”, garante.

CLICK PB

Leia mais notícias em catoleagora.com

Siga a página Catolé Agora no Facebook

Para anúncios ou informações: WhatsApp (83) 9.9676-1272

Veja Também

McLaren batiza de Senna novo esportivo de 800 cavalos; FOTOS

A divisão de carros de rua da McLaren apresentou a sua última máquina e fez ...

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.