Argentina já aplicou mais de 200 mil vacinas contra covid-19

A Argentina administrou até esta sexta-feira um total de 200.759 doses de vacina contra a covid-19, todas elas da Sputnik V, fabricada na Rússia.

Em discurso durante a divulgação do relatório matinal sobre a pandemia do coronavírus, a secretária de Acesso à Saúde, Carla Vizzoti, lembrou que a primeira etapa da vacinação, iniciada no final de dezembro, consiste em um total de 300 mil doses para funcionários da área da saúde de entre 18 e 59 anos de idade.

Esses trabalhadores atuam em unidades de terapia intensiva e nos laboratórios que manipulam o vírus nos grandes conglomerados urbanos. Depois, caso a meta de proteção a esses funcionários seja cumprida, o fornecimento do imunizante será estendido à população alvo.

Nesse sentido, ainda hoje um avião da Aerolíneas Argentinas chegará a Moscou para pegar as outras 300 mil doses correspondentes ao acordo com a Rússia, para que aqueles que já tomaram a primeira inoculação possam receber a segunda. O voo retornará ao aeroporto de Ezeiza, na província de Buenos Aires, neste sábado.

“A distribuição começará em coordenação com as jurisdições e continuaremos trabalhando para que nosso país continue a ter doses e possamos continuar vacinando aqueles com maior risco de complicações e morte. Enquanto isso, é essencial que continuemos com os cuidados para minimizar a transmissão”, disse Vizzotti.

Quase 40 grávidas morreram de covid-19 no país

Durante o relatório da manhã, Vizzotti também detalhou que, desde o início da pandemia, 8.258 pessoas grávidas deram positivo para coronavírus na Argentina, sendo que 38 delas morreram da doença. Isso representa uma letalidade de 0,46%, com metade deles afetados por “comorbidades conhecidas”, tais como diabetes e asma.

O número de 8.258 entre grávidas representam 0,5% do total de casos confirmados no país vizinho, que nesta quinta-feira reportou 13.286 novos contágios e chegou a um total de 1.770.715. Além disso, já houve 45.125 óbitos causados pela doença, 142 deles confirmados ontem.

EFE

FOTO: SERGEY PIVOVAROV/REUTERS