Home / Saúde / Caso de malária é confirmado na Paraíba
Mosquito Anopheles é vetor da malária; Paraíba registra primeiro caso da doença em 2019 — Foto: Jim Gathany/CDC/Reuters

Caso de malária é confirmado na Paraíba

Compartilhe:

Uma mulher de 35 anos, moradora do Conde, no Litoral da Paraíba, e internada no Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa, desde a sexta-feira (29) teve confirmado o diagnóstico de malária, segundo a assessoria do hospital. A paciente segue em tratamento.

Leia também: Saúde alerta para prevenção e diagnóstico precoce de doença renal

Este caso é o primeiro registrado no estado em 2019 e a vítima não possui histórico de transfusão sanguínea, tendo adquirido a doença dentro da Paraíba. O protozoário identificado no exame da paciente foi o Plasmodium Vivax, considerado o de menor patogenia.

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, de 1994 a 2018 foram notificados 175 casos suspeitos de Malária. Destes, 70 são de pacientes residentes na Paraíba e todos foram registrados como casos importados, ou seja, pessoas que se deslocaram para regiões endêmicas, foram infectadas e retornaram para o estado de residência. Nenhuma morte foi registrada.

A Secretaria do Estado e a Secretaria Municipal do Conde investigam possíveis casos. Uma comissão especial foi formada com trabalhadores da Atenção Básica e Vigilância Epidemiológica da cidade para elaborar um relatório sobre o assunto, no prazo de 60 dias.

Malária

A malária não é uma doença comum no Estado mas ela é transmitida pela fêmea do mosquito Anopheles, que pode ser encontrado na Paraíba nas espécies An.aquasalisAn. albitarsisAn.bellator e An. Argyritarsis.

É necessário que o mosquito esteja infectado pelo protozoário Plasmodium nas espécies P. vivaxP. falciparum e P. malariae, que age na corrente sanguínea para causar a doença.

Além da transmissão por mosquito, a doença pode ser difundida por contato de uma corrente sanguínea com o sangue contaminado.

G1 PB

Leia mais notícias de saúde

Veja outras notícias em catoleagora.com

Deixe uma resposta

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.