Catolé do Rocha passa a ter unidade de referência para atendimento às pessoas com sintomas de covid-19

O município de Catolé do Rocha começará a partir desta segunda, dia 8 de junho, o atendimento de referência em COVID-19. Para isso, a Unidade Básica de Saúde, Dr. Edmir Xavier, localizada ao lado do Centro de Saúde, foi destinada para o serviço.

VEJA TAMBÉM:

A UBS “Dr. Edmir Xavier” foi adaptada e preparada para receber todas as pessoas com sintomas para atendimento, tratamento, orientação, exames necessários, dispensação de medicamentos específicos, apoio psicológico, realização de testes e entrega de insumos à população atendida quando o caso for positivo. Além disso, as equipe de saúde continuarão realizando o atendimento remoto e monitoramento dos pacientes. “A iniciativa está sendo do município em promover o atendimento específico para todos que precisam”, comentou a secretária de Saúde, Paulina Maia. Os atendimentos serão de segunda a sexta, das 8h às 15h e contará com os seguintes profissionais diariamente: Psicólogo, Médico, Enfermeiro, Técnico de enfermagem, Agentes Comunitários de Saúde e demais profissionais necessários ao serviço já existentes na unidade.

Todo o processo de atendimento foi elaborado pela equipe municipal da Secretaria de Saúde e os pacientes positivados, passarão pelas mesmas etapas já estabelecidas.

De acordo com Paulina Maia, estará sendo também posto em prática o Protocolo para tratamento da Covid-19, elaborado criteriosamente pela Equipe médica, técnicos da secretaria municipal de saúde, com o apoio do prefeito Dr. Leomar Maia, que também é médico. O protocolo de tratamento foi elaborado considerando alguns modelos e orientação de outros municípios brasileiros e começará a ser ser aplicado a partir desta segunda, já com o início das atividades na unidade de referência.

“O protocolo de tratamento foi implantado em toda a Atenção Básica da nossa cidade. Foi estudado e reforçamos que a conduta médica dependerá das condições individuais/clínicas de cada pessoa atendida”, explica. O objetivo é unificar a conduta médica diante de casos suspeitos/confirmados na cidade.

A aplicação do protocolo está condicionada à avaliação médica de anamnese, exames físicos e exames complementares, em unidades de saúde. “Estamos e continuaremos dando assistência toda necessária à população, buscando sempre atender as necessidades apresentadas como também, as necessidades dos Serviços de Saúde e dos Profissionais que estão na linha de frente. É um momento delicado onde todos estão ‘abalados’ com o que vemos e ouvimos. Mas se seguirmos os cuidados, se tivermos a consciência de seguir as orientações, sairemos dessa”, concluiu.

ASCOM PMCR/ LS Almeida