Coronavírus: saiba o que fazer se apresentar sintomas de contaminação na Paraíba

A Paraíba já têm casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19). Para auxiliar pessoas que apresentem sintomas de possível contágio, o G1 reuniu os procedimentos necessários para a procura correta de atendimento médico que são adotados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

VEJA TAMBÉM:

Conforme a (SES), existe um fluxo de atendimento para casos suspeitos de pacientes com Covid-19 que deve ser cumprido pelas unidades de saúde, baseado em sintomas apresentados nas seguintes situações:

  • Sintomas leves: o paciente deve procurar Unidades Básicas de Saúde (UBS).
  • Sintomas moderados: o paciente deve procurar Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e emergências de hospitais públicos e privados para analisar necessidade de internação.

A SES reforça que antes de procurar uma unidade de saúde, o paciente deve entrar em contato com os canais de atendimento do estado ou dos municípios, que possuem equipes médicas para orientar qual ação adotar em cada caso. Assim, o usuário do sistema de saúde evitar sair de casa e se contaminar, enquanto dividem o mesmo espaço com pessoas infectadas.

O secretário estadual de saúde, Geraldo Medeiros, acrescenta ainda que para passar apenas pelo procedimento de testagem rápida, os pacientes devem se dirigir para as UBSs e não para UPAs e hospitais.

Quando procurar uma unidade de saúde

Conforme a SES, se a pessoa tiver com resfriado comum ou síndrome gripal, tosse, coriza, congestão nasal, dor no corpo, dor leve de garganta com ou sem febre, calafrios e dores musculares, deve se hidratar, ter uma boa alimentação, repousar, permanecer em isolamento domiciliar e procurar uma UBS.

Em casos mais graves, deve procurar UPAS e emergências de hospitais públicos e privados. Os sintomas considerados como moderados e graves envolvem dificuldade respiratória e dor torácica ao tossir ou respirar.

A população que tiver acesso a rede de saúde suplementar (planos de saúde) pode recorrer à clínicas particulares e consultórios. O médico notificará ao município que deverá fazer a coleta do caso suspeito. Os testes só serão feitos quando tiverem a necessidade de realização reconhecida por médicos. Diante de solicitação, eles também poderão ser feitos em laboratórios particulares.

Onde procurar atendimento em casos suspeitos do novo coronavírus

João Pessoa

  • Unidades básicas de saúde (UBSs).
  • UPA Dr. Luiz Lindbergh Farias, localizado no bairro dos Bancários / UPA Augusto Almeida Filho, em Cruz das Armas / UPA Oceania, em Manaíra / UPA Célio Pires de Sá, localizada no bairro Valentina.
  • Emergências de hospitais públicos e privados.

Unidades para internamento em casos de Covid-19 na Grande João Pessoa : Complexo Hospitalar Clementino Fraga, em João Pessoa / Hospital São Luiz, em João Pessoa / Hospital Municipal Santa Isabel, em João Pessoa / Hospital Metroplitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita / Hospital Municipal Valentina, em João Pessoa / Maternidade Frei Damião, em João Pessoa / Hospital Universitário Lauro Wanderley, em João Pessoa / Hospital Santa Paula, em João Pessoa / Prontovida, em João Pessoa / Hospital Solidário da Paraíba, em Santa Rita.

Campina Grande

  • Unidades básicas de saúde (UBSs).
  • UPA Alto Branco, localizada na avenida Manoel Tavares, no bairro Alto Branco. Telefone: (83) 3341-2079.

Unidades para internamento em casos de Covid-19 na região metropolitana de Campina Grande: Hospital Municipal Pedro I / Hospital de Emergência e Trauma / Hospital da Criança e do Adolescente / Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (ISEA) / Hospital de Campanha / Hospital das Clínicas / Hospital Universitário Alcides Carneiro (HU).

Unidades referenciadas no Sertão da Paraíba
  • Cajazeiras: Hospital Regional de Cajazeiras / Hospital Universitário Júlio Bandeira.
  • Patos: Hospital Regional de Patos e Hospital Infantil Noaldo Leite / Complexo Hospitalar Regional Deputado Janduhy Carneiro.
  • Pombal: Hospital Regional de Pombal.
  • Piancó: Hospital Wenceslau Lopes.
Testes rápidos

No dia 26 de abril começaram a ser feitos os testes rápidos na população que já apresentou sintomas da Covid-19. A SES fez uma compra de 210 mil testes rápidos para todo o estado, que chegam por lotes. Todos os municípios da Paraíba já receberam kits para testagem rápida, segundo a secretaria.

O objetivo dos testes rápidos é mensurar o número de indivíduos com Síndrome Gripal infectados pelo novo coronavírus e saber como se comporta a doença na capital, área mais afetada.

O teste rápido é um modelo de triagem, não um teste confirmatório. Ele pode indicar se a pessoa está infectada ou recuperada da infecção. Por isso, dependendo do tipo, ele pode ser feito entre o oitavo e o décimo dia da apresentação dos sintomas da doença. Trata-se de uma ferramenta que funciona como auxílio no diagnóstico de infecções primárias e secundárias pelo novo coronavírus.

Segundo o secretário executivo de Gestão de Redes de Saúde, Daniel Beltrammi, há limitações neste teste, já que as pessoas que estão com suspeita de Covid-19 devem esperar um período para que o sistema imunológico produza anticorpos em quantidade suficiente para ser detectado pelo teste.

“Se o teste rápido apresentar resultado positivo, o ideal é confirmar com o exame PCR”, explica Beltrammi.

Locais com realização dos primeiros testes

  • João Pessoa: em domicílio
  • Campina Grande: UPAs de referência
  • 2ª Gerência Regional de Saúde (GRS): UPA de Guarabira;
  • 3ª GRS: Hospital Municipal de Esperança, no Centro de Testagem de Esperança e no Hospital Municipal de Areia;
  • 4ª GRS: Centro de Testagem de Cuité, Centro Testagem de Picuí e Hospital Regional de Picuí.
  • 5ª GRS: hospital de Sumé, Hospital de Serra Branca, UPA de Monteiro;
  • 6ª GRS: Hospital Regional de Patos ou UPA de Patos e Hospital Sinhá Carneiro, em Santa Luzia;
  • 7ª GRS: Piancó, Conceição, Hospital Regional de Itaporanga;
  • 8ª GRS: Hospital Regional de Catolé, Hospital Municipal de São Bento, Hospital Municipal de Brejo do Cruz;
  • 9ª GRS: UPA de Cajazeiras, Posto de Testagem Uiraúna, Hospital Municipal de São José de Piranhas;
  • 11ª GRS: Hospital de Princesa Isabel, Hospital Municipal de Princesa Isabel, Hospital Municipal de Água Branca e Hospital Municipal de Juru;
  • 12ª GRS: UPA de Ingá, Hospital Municipal de Pedras de Fogo, Posto de Testagem de Itabaiana
  • 13ª GRS: Pombal Hospital Regional de Pombal, UPA de Pombal, Hospital Municipal de Paulista;
  • 14ª GRS: Posto de Testagem de Mamanguape, Secretaria Municipal de Saúde e Hospital Regional;
  • 15ª GRS: Hospital Regional de Queimadas, Hospital Municipal de Aroeiras, Hospital Municipal de Boqueirão;
  • 16ª GRS: Hospital Geral de Taperoá e Hospital Municipal de Soledade.
Plantões e telefones para atendimento e tirar dúvidas sobre o novo coronavírus

O Governo da Paraíba e as Prefeituras de João Pessoa e Campina Grande criaram centrais de atendimento para tirar dúvidas sobre o novo coronavírus. Os serviços ficaram disponíveis nesta segunda-feira (16). Os questionamentos serão respondidos por médicos, que trabalham em regime de plantão 24 horas.

Os profissionais estão disponíveis para tirar dúvidas sobre quadros com sintomas gripais e respiratórios.

Telefones do Governo do Estado para dúvidas sobre o novo coronavírus

  • (83) 99146-9790
  • (83) 99146-9250
  • (83) 99147-0810

Telefones da Prefeitura de João Pessoa para dúvidas sobre o novo coronavírus

  • (83) 3218-9214

Telefones da Prefeitura de Campina Grande para dúvidas sobre o novo coronavírus

  • (83) 3315-5139
  • (83) 98141-7964
Como começaram os casos de coronavírus na PB

O primeiro caso suspeito do novo coronavírus na Paraíba foi notificado pela Secretaria de Estado da Saúde no dia 25 de fevereiro. O paciente era um homem de 59 anos com histórico de viagem para a Europa. O caso foi descartado na semana seguinte, porém, a partir deste caso, todos os dias foram registradas novas notificações. A primeira confirmação de caso de coronavírus foi feita no dia 18 de março. O paciente é um idoso de 60 anos, morador de João Pessoa, que voltou de uma viagem à Europa no dia 29 de fevereiro.

O que o coronavírus causa

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que os sintomas mais comuns do novo coronavírus (Sars-Cov-2) são: febre, tosse e dificuldade de respirar. Segundo a entidade, alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas, geralmente, são leves e começam gradualmente. No caso da tosse, ela apresenta risco quando é seca, intensa e persistente, diferente de um pigarro eventual, casada com outros sintomas. Nos casos mais graves, que geralmente ocorrem em pessoas que já apresentam outras doenças associadas, há síndrome respiratória aguda e insuficiência renal.

O que fazer para se proteger do coronavírus?

A prevenção contra a transmissão do novo coronavírus exige cuidados simples no dia a dia, como a forma correta de lavar as mãos, espirrar e tossir. A prevenção deve ser feita, principalmente, pela higienização das mãos e de superfícies que possam estar contaminadas.

Como saber se estou com coronavírus?

A recomendação do Ministério da Saúde é para que pessoas com sintomas gripais permaneçam em casa e em isolamento social por sete dias. Se os sintomas se agravarem nesse período, e a pessoa apresentar tosse seca e falta de ar, a recomendação é para procurar um posto de saúde ou consultório médico para avaliação clínica.

O ministério ressalta que as pessoas podem ou apresentar ou não febre. O hospital deve ser a última alternativa, quando o caso estiver mais grave.

A pessoa que não passar pelo teste para confirmar se contraiu ou não o novo coronavírus mas apresentar os sintomas deve permanecer em casa e em isolamento social por sete dias e não sair em hipótese alguma.

Se os sintomas não melhorarem em sete dias, o isolamento deve ser prorrogado por mais sete dias. O uso da máscara em pessoas com Covid-19 não impede a transmissão do vírus, ressalta o ministério. O isolamento social e domiciliar visam minimizar a transmissão da coronavírus.

G1 PB