Home / Brasil / Corpo de mulher morta a facadas é furtado da cova em município de MS
Cova sem o corpo no cemitério de Dois Irmãos do Buriti — Foto: Buriti News

Corpo de mulher morta a facadas é furtado da cova em município de MS

Compartilhe:

O corpo de uma mulher foi furtado da cova onde havia sido enterrado, no cemitério de Dois Irmãos do Buriti, a 98 quilômetros de Campo Grande. A Polícia Civil investiga o caso.

Leia também: Homem é assassinado um dia antes do casamento no Ceará

De acordo com a polícia, Rosilei Potronieli, de 37 anos, foi ferida a facadas no abdômen após discussão com um homem em um bar do município de Terenos, no domingo (10). Ela foi socorrida e devido a gravidade dos ferimentos, foi encaminhada para a Santa Casa da capital sul-mato-grossense, onde morreu.

Na segunda-feira (11), à tarde, Roseli foi enterrada no cemitério de Dois Irmãos do Buriti. Na terça-feira (12), o coveiro responsável pelo local verificou que a cova estava aberta, sem o corpo, e avisou a polícia.

Atualização

A Polícia Civil de Dois Irmãos do Buriti elucidou o caso do corpo da mulher esfaqueada que foi roubado de dentro da cova no cemitério de Dois Irmãos do Buriti (MS), a 98 km de Campo Grande. A delegada responsável pelo caso, Nelly Macedo, disse na manhã desta sexta-feira (15) que o homem que furtou o corpo era ex-namorado de Rosilei Poltronieli, de 37 anos.

O primo de Rosilei apresentou-se à polícia na noite desta quinta-feira (15) e prestou depoimento. Ele estava junto com o suspeito de furtar o cadáver, de 57 anos. Segundo a delegada, ele relatou à polícia que o homem tinha um pacto com a mulher com quem, entre idas e vindas, teve um relacionamento de 20 anos: “Eles haviam prometido um ao outro que ficariam sempre próximos, e quem morresse primeiro, seria levado para perto. O suspeito disse que furtou o corpo para enterrá-la na própria chácara, ao lado da janela de seu quarto, para ficar perto dela”, relata a delegada. O suspeito do furto não apresentou-se à polícia ainda, e deve ter a prisão preventiva decretada.

A delegada do caso explica que alguns detalhes chamam a atenção da polícia: “O cúmplice relatou em depoimento que, ao pegar o cadáver da mulher no cemitério, o homem a abraçava, beijava e repetia o tempo todo a frase Eu vim te buscar, meu amor'”.

O homem foi preso um dia antes de Rosilei ser assassinada, por ter ameaçado-a. Ele saiu da prisão horas após o enterro, e segundo a polícia, estava revoltado por não ter participado do funeral da mulher. “Ele já estava com a ideia de fazer alguma coisa nesse sentido, e chamou o primo dela para participar, e teria ameaçado-o para isso. Eles foram de carro até o cemitério, o suspeito entrou, encontrou o túmulo da vítima, encontrou lá mesmo uma pá e uma carriola deteriorada e começou a desenterrar o corpo. Depois, viu que precisaria do carro, e o veículo foi levado até o lado do túmulo. Eles colocaram o corpo dela dentro do carro e foram para Campo Grande”.

De acordo com a polícia, na capital a dupla foi até a chácara do suspeito, onde estavam as duas filhas do homem. Ele avisou às meninas que estava com o corpo e que o enterraria ao lado da casa. Elas não concordaram, e segundo o primo, trancaram-se dentro de casa para não acompanhar a cena.

Homem fez um funeral particular

O primo da vítima disse que, embora estivesse bêbado, lembra de algumas cenas, segundo a delegada Nelly. “Ele falou que o homem fez uma espécie de funeral particular, já que não havia participado do enterro da mulher”.

“Ele lavou o corpo, vestiu novamente, colocou um travesseiro sobre a cabeça da vítima, deitou-a no pátio e ficou durante horas ‘conversando’ com a mulher morta. Ele dizia ‘Como te prometi, vou te levar para casa’, repetidas vezes.

Depois, ele tentou enterrá-la ao lado da janela do próprio quarto, mas não conseguiu cavar um buraco no local. O corpo foi enterrado em frente à casa, na entrada da chácara.

O primo de Roseli disse que procurou a polícia para entregar-se porque estava arrependido, ele foi ouvido e liberado. O homem relatou que “todo mundo tinha um pouco de medo dele”, segundo a polícia. O ex-namorada da vítima é policial militar aposentado. Ele será indiciado por subtração de cadáver.

O trabalhador rural que confessou esfaquear Rosilei está preso. Ele entregou-se na polícia no dia 13, e disse que assassinou a mulher após uma briga em um bar. Ela tinha perfurações no abdômen, pernas, braços e nádegas.

O corpo de Rosilei foi encaminhado ao Instituto Médico e Odontológico (Imol) da capital e será entregue à família para um novo funeral e enterro.

G1 MS

Leia mais notícias do Brasil

Veja outras notícias em catoleagora.com

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.