Home / Mundo / Enfermeiro é detido por engravidar mulher em estado vegetativo

Enfermeiro é detido por engravidar mulher em estado vegetativo

Compartilhe:

Um enfermeiro de um hospital de Phoenix, no Arizona (EUA), foi detido como suspeito de estuprar uma mulher em estado vegetativo há mais de dez anos que deu à luz em dezembro, informou nesta quarta-feira (23) a polícia local.

+ Seis crianças morrem após ônibus derrapar em estrada na Índia

A prefeita de Phoenix, Thelda Williams, e a chefe da polícia da cidade, Jeri Williams, disseram em entrevista coletiva que o suspeito é Nathan Sutherland, de 36 anos, cuidador e enfermeiro do hospital Hacienda HealthCare.

Segundo a versão policial, Sutherland, que trabalha no centro médico desde 2011, era responsável de cuidar da vítima no período em que acredita-se que a agressão sexual aconteceu.

A polícia indicou que os exames de DNA dos funcionários ajudaram a polícia a encontrar uma compatibilidade entre Sutherland e o bebê.

De acordo com os dados revelados na entrevista coletiva, as autoridades recolheram amostras de Sutherland na terça-feira depois de conseguirem uma ordem judicial, e o enfermeiro foi detido hoje mesmo.

Espera-se que ele seja acusado de agressão sexual e abuso de adulto vulnerável, embora o porta-voz da polícia Tommy Thompson tenha indicado que está em curso uma investigação para saber se o enfermeiro abusou de outras pacientes do centro médico.

No dia 29 de dezembro a mulher deu à luz uma criança totalmente sadia diante do assombro da equipe do hospital, que, afirmou, não sabia que a paciente estava grávida, o que só foi descoberto quando ela entrou em trabalho de parto.

A vítima, cuja identidade não foi revelada, foi paciente no hospital Hacienda HealthCare, em Phoenix, durante pelo menos dez anos, depois que sofreu um acidente no qual quase se afogou, mas que a deixou em estado vegetativo.

R7

*Com Agência EFE

Leia mais notícias do mundo

Veja outras notícias em catoleagora.com

Deixe uma resposta

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.