Governo do AM pede atuação da Força Nacional para combate a garimpo ilegal no rio Madeira

O governador do Amazonas, Wilson Lima, formalizou, nesta sexta-feira (26), o pedido de apoio da Força Nacional de Segurança para combate ao garimpo ilegal na região do rio Madeira, onde houve invasão de centenas de garimpeiros nas últimas semanas.

Balsas e dragas estavam atracadas no local há mais de 15 dias realizando exploração ilegal de ouro. Após as imagens repercutiram na imprensa, o governo anunciou que faria ações para retirar os garimpeiros do local. Eles começaram a sair por conta própria nesta sexta-feira.

O pedido é para que os agentes federais atuem nas proximidades da comunidade do Rosarinho, localizada no rio Madeira, entre os municípios amazonenses de Autazes e Nova Olinda do Norte.

O governador se reuniu com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, nessa quinta (25), em Brasília. Segundo o governo, o controle e fiscalização da região está sob a responsabilidade da União.

O governo estadual informou que colocou à disposição do Governo Federal as forças de segurança e salvamento do Amazonas, além de órgãos estaduais ligados ao meio ambiente, para atuar na área, em conjunto com órgãos federais.

Nesta semana, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que Marinha e Polícia Federal fariam uma operação na região para investigar os garimpeiros no local.

Ele tratou com naturalidade a invasão de balsas no Madeira e disse que todos os anos os garimpeiros procuram o lugar com mais ouro. Ele afirmou que medidas já estão sendo tomadas para verificar o arrastão de ouro no Rio Madeira.

“Polícia Federal e Marinha já estão se preparando para agir, mas o principal ali é a Marinha. A Marinha tem que verificar qual é a questão, quem está ali na legalidade, qual é a embarcação legal, e o pessoal que está na ilegalidade vai ter a embarcação apreendida”, disse.

Garimpeiros ameaçam autoridades

Os garimpeiros que estão no Rio Madeira, na região de Autazes, no interior do Amazonas, ameaçam revidar a ação de autoridades que tentem removê-los do local. As mensagens foram trocadas em um grupo de garimpeiros ao qual a reportagem teve acesso.

No grupo, os garimpeiros falam que vão ficar de tocaia e dar tiros.

O Ipaam afirma que atividades de exploração mineral na região não estão licenciadas, portanto, são irregulares. O Ministério Público Federal também confirmou que a extração de ouro na região do rio madeira é ilegal.

g1 AM

Foto: REUTERS/Bruno Kelly