Homem é baleado no Santo Antônio e morre dentro da ambulância do Samu, em Mossoró

O crime aconteceu por volta de 01h30min desta madrugada de sexta feira 22 de outubro de 2021, na Rua Melo Franco, próximo as Torres de Celular no Bairro Barrocas em Mossoró no Oeste do Rio Grande do Norte. Um homem sem identificação”, foi alvejado em via pública com cerca de dois tiros.

A equipe da Unidade de suporte avançado (ALFA) do SAMU, foi acionada e ao chegar no local encontrou a vítima caída na meio da rua. Foram realizados os primeiros atendimentos no local e colocada a vítima na ambulância para levá-lo ao Hospital Tarcísio Maia. Durante o trajeto, o homem não resistiu aos ferimentos e foi a óbito dentro da ambulância.

Ainda não há informações sobre a motivação do crime, nem quem seriam os autores do assassinato.. Populares que estavam no local, informaram para a Polícia Militar, que a vítima era usuária de drogas. A princípio a polícia achava que se tratava de um homem conhecido como Marquinhos, mas a família usou as redes sociais, para informar que o Marquinhos o qual a polícia se referia estava vivo e em casa.

O corpo dele será removido de necrotério do hospital para o IML do ITEP onde passará por exames de necropsia. O órgão pericial vai aguardar a presença da família com a documentação para a identificação e liberação do cadáver. Já são 135 homicídios em Mossoró neste ano de 2021. A Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) vai investigar o crime.

Atualização

A vítima do homicídio,  ocorrido na madrugada desta sexta feira 22 de outubro na Rua Melo Franco no Bairro Barrocas em Mossoró, na região Oeste do Rio Grande do Norte, foi identificada no ITEP.

Trata-se de Magno Kennedy Ferreira da Silva, 35 anos, morador da Rua Marechal Hermes no mesmo bairro onde foi morto. A família compareceu ao ITEP,  onde apresentou a documentação e fez o reconhecimento do corpo, que deverá ser liberado ainda hoje.

De acordo com a polícia Magno Kennedy tinha passagem pelo sistema prisional, por tráfico de drogas, mas estava em liberdade.

A Delegacia de Homicídios e de proteção a Pessoa (DHPP) vai investigar o crime.

FIM DA LINHA