Home / Destaque / Ilusionista indiano morre afogado em rio após tentar truque
Chanchal Lahiri estava acorrentado antes de se perder no rio Hooghly. Foto: Reprodução / Twitter

Ilusionista indiano morre afogado em rio após tentar truque

Compartilhe:

Um ilusionista indiano de 40 anos, conhecido como ‘Mandrake’, foi encontrado morto na segunda-feira (17), às margens do rio Hooghly em Calcutá, no leste da Índia. Ele estava desaparecido desde domingo, quando tentava realizar um truque dentro das águas do rio.

Leia também: Capoeirista brasileiro morre após ser atacado por grupo em Londres

Chanchal Lahiri juntou uma multidão na beira do rio no domingo. Ele foi preso com uma corrente trancada com seis cadeados e colocado dentro por um guindaste dentro das águas do Hooghly.

Segundo testemunhas, foi possível ver em pouco tempo que algo estava errado, porque o homem não conseguia abrir as trancas. O corpo dele se soltou do guindaste e desapareceu, até ser localizado na segunda-feira.

A polícia local pediu a ajuda de um grupo de mergulhadores para tentar encontrar o mágico, mas a correnteza levou o corpo alguns quilômetros além de onde acontecia o espetáculo

Trajetória de problemas

Não foi a primeira vez que Lahiri tentou esse truque — criado pelo ilusionista norte-americano Harry Houdini há cerca de um século — no mesmo rio e fracassou. Em 2013, ele saiu da água apenas alguns segundos depois que a gaiola com ele foi baixada.

Segundo relatos da época, uma multidão brigou com ele e tentou tirar satisfações quando ficou evidente que havia um fundo falso na gaiola, o que facilitou sua fuga. 

Em outra ocasião, há mais de dez anos, ele prometera que “andaria sobre as águas” do rio Hooghly, mas também quase morreu afogado.

Truque autorizado

Segundo autoridades de Calcutá, Lahiri tinha conseguido permissão tanto da polícia quanto da administração portuária da cidade para fazer a exibição, segundo o jornal Times Of India. A descrição que ele fez do seu truque, no entanto, era um pouco diferente do que ele acabou fazendo.

“Ele nos disse que a apresentação aconteceria a bordo de uma embarcação e não especificou que faria algo na água. Foi por esse motivo que demos autorização. Ele falou vagamente em um ‘truque extra’, mas não especificou nada”, disse o porta-voz da guarda costeira de Calcutá, Syed Waquar Raza.

Lahiri contratou uma balsa com um guindaste que o levou até o meio do rio. Antes que ele conseguisse se soltar das correntes, ele se perdeu do barco.

R7

Leia mais notícias do mundo

Veja outras notícias em catoleagora.com

Deixe uma resposta

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.