Israel autoriza vacinação para crianças vulneráveis de 5 a 11 anos

As crianças de entre 5 e 11 anos suscetíveis a sofrerem complicações graves ligadas à covid-19 poderão ser vacinadas a partir de domingo (1º de agosto) em Israel, informaram autoridades de saúde nesta quarta-feira (28).

Em um documento publicado na terça-feira, o ministério da Saúde israelense aprovou que as crianças de 5 a 11 anos que apresentarem “riscos significativos de doenças graves ou de morte por uma infecção com o coronavírus” se vacinem.

“É uma autorização especial e cada vacinação será analisada caso a caso”, informou nesta quarta-feira um porta-voz do ministério à AFP. “Esta autorização será efetiva a partir de 1º de agosto”, acrescentou.

“Até o momento, não se recomenda a vacinação de [todas as] crianças de 5 a 11 anos”, enfatizou o ministério, destacando que o imunizante só poderá ser aplicado às crianças mais vulneráveis.

Segundo a diretiva do ministério, os menores com doenças pulmonares crônicas graves, imunossupressão grave, transtornos de desenvolvimento neurológico, anemia falciforme, insuficiência cardíaca, hipertensão pulmonar e obesidade severa poderão ser vacinados com uma dose de 0,1 ml da vacina Pfizer, o que é três vezes menos que a dose padrão.

Cerca de 55% da população israelense recebeu as duas doses da vacina graças a uma ampla campanha iniciada no final de dezembro e impulsionada por um acordo com a gigante farmacêutica Pfizer.

O laboratório entregou ao país, de 9,3 milhões de habitantes, milhões de doses em troca de dados sobre os efeitos da vacinação. No início de junho, as autoridades estenderam a vacinação a jovens de 12 a 16 anos.

AFP