Miliciano procurado no Rio de Janeiro é preso pela Polícia Civil da Paraíba

Um miliciano do Rio de Janeiro, que é procurado pela polícia daquele estado, foi preso nesta quarta-feira (28) pela Polícia Civil da Paraíba. Almir Rogério Gomes da Silva é apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro como um dos chefes da Milícia da Gardênia Azul e autor de execuções na Zona Oeste carioca. A polícia fluminense suspeita ainda da participação dele em ações numa milícia que atua no bairro do Tirol.

A prisão foi realizada por policiais da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco), no município de Queimadas. Almir, considerado o alvo principal da ação, estava na companhia de outro homem, que também foi preso.

Entre outros crimes, Almir é denunciado pelo MPRJ pela execução de Eliezio Victor do Santos Lima, em outubro de 2018.

De acordo com o delegado Diego Beltrão, da Draco, as investigações descobriram que o homem cometeu outro assassinado no Rio, em 3 de junho deste ano, o que pode ter sido o motivo para ele fugir para a Paraíba. Beltrão informou ainda que Almir vai passar por audiência de custódia nesta quinta-feira (29) e depois deverá ser transferido para um presídio. Depois, vai ser iniciado diálogos com a polícia do Rio de Janeiro para se realizar a transferência do preso.

“Parte dos milicianos ligados ao homem capturado em Queimadas hoje já foi presa em operações policiais naquele estado. Mas ele, que é um dos chefes desse grupo, conseguiu escapar dessas investidas. Trata-se de um criminoso muito perigoso, com indícios fortes de que estava traficando drogas e planejando ataques a instituições financeiras no nosso estado”, disse o delegado.

Autoridades policiais do Rio de Janeiro já foram informados da prisão de Almir na Paraíba e, segundo Beltrão, confirmaram a periculosidade do criminoso.

G1 PB