PM morre após ser baleado em assalto a laboratório no Centro de Macapá

O policial militar Ranolfo da Silva Alcântara, de 30 anos, morreu depois de reagir e ser baleado no assalto a um laboratório no bairro Santa Rita, região central de Macapá, na tarde desta quarta-feira (5). O local foi invadido por dois assaltantes, que fugiram na troca de tiros.

Até a última atualização desta reportagem, ninguém foi preso como suspeito do crime.

De acordo com o Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes), o policial atuava em Oiapoque, a quase 590 quilômetros da capital, e estava sendo atendido no laboratório quando o local foi invadido, por volta das 13h.

O estabelecimento funciona na Avenida Padre Júlio Maria Lombaerd, quase na esquina com a Rua Santos Dumont.

Câmeras de monitoramento registraram o momento do assalto em vídeos. Um dos criminosos já estava dentro do estabelecimento, sentado ao lado de um dos clientes, quando o outro assaltante entra no local com uma arma de fogo. O primeiro cliente tem o celular roubado e outros também são rendidos pela dupla.

O policial, que era atendido no balcão, levanta os braços e deita no chão. Segundos depois ele saca a arma e troca tiros com o criminoso armado. Em seguida, a dupla foge correndo.

Conforme o 190, o policial chegou a ser socorrido com vida, mas o óbito foi confirmado no Hospital de Emergências (HE) de Macapá. Uma segunda vítima, baleada de raspão, também recebeu atendimento médico.

O g1 apurou que a dupla chegou ao local em uma motocicleta que foi roubada no dia anterior, na terça-feira (4). Na fuga após a troca de tiros, a dupla teria roubado outra moto.

A Polícia Militar (PM) informou que vai falar sobre o caso somente na quinta-feira (6), mas confirmou que o corpo do soldado será velado na quadra do comando assim que for liberado.

g1 AP