Polícia Civil da PB pede à Justiça para ficar com avião apreendido com 752 quilos de cocaína

A Polícia Civil da Paraíba pediu para a Justiça Federal ceder à instituição a aeronave apreendida no dia 9 de dezembro, em Catolé do Rocha, com 752 quilos de cocaína. O objetivo é que o avião passe a ser utilizada tanto pela Civil como pela Polícia Militar nas ações de combate ao tráfico de drogas realizadas no estado.

Segundo o delegado Sylvio Rabello, superintendente da 3ª Superintendência Regional de Polícia Civil, a polícia desconfia da participação da empresa de táxi aéreo no esquema de tráfico. O G1 entrou em contato com a empresa, que declarou que “não tem qualquer relação com a droga encontrada no interior de sua aeronave, bem como não tinha ciência alguma de que transportava produtos ilícitos, sendo tão vítima quanto a coletividade”.

Além da utilização da aeronave no combate ao tráfico, a Polícia Civil solicitou que a aeronave não fosse devolvida à empresa até o fim das investigações. assim, o avião foi levado para o hangar do Governo da Paraíba no aeroporto Castro Pinto, em João Pessoa.

De acordo com a Justiça, só depois do fim das investigações será decidido se a aeronave será disponibilizada para a polícia ou devolvida aos seus donos.

No dia 9 de dezembro, quatro homens foram presos em flagrante com uma carga de 752 quilos de cocaína transportada em um avião, armazenada dentro de caixas de papelão. A apreensão aconteceu após denúncias sobre a chegada da droga pelo aeródromo de Catolé do Rocha.

G1 PB

Deixe uma resposta