Preço médio da casa própria sobe pelo 11º mês consecutivo no Brasil

O desejo de realizar o sonho da cara própria ficou mais caro em novembro pelo 11º mês seguido, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (3) pelo Índice FipeZap, que acompanha os classificados de imóveis nas 50 maiores cidades do Brasil.

VEJA TAMBÉM:

Com a alta de 0,45% registrada no mês passado, o preço médio do metro quadrado construído no Brasil saltou R$ 7.455/m². Significa dizer que para colocar as mãos nas chaves de um apartamento padrão, com 65 m² e até dois dormitórios, é necessário desembolsar, em média, R$ 484.575.

No acumulado de 2020, o indicador acumula alta de nominal de 3,21%. Caso a variação esperada pela inflação oficial do período, de 2,85%, seja confirmada, o valor dos imóveis terá um salto real de 0,35%.

Excluindo Recife, onde o valor médio de venda residencial acumula queda de quase 1% neste ano, todas as demais capitais brasileiras monitoradas apresentaram avanço no preço médio do metro quadrado período.

Cidades

Entre os 50 municípios, o Rio de Janeiro (RJ) segue como o local mais caro para se comprar um imóvel, com o preço do metro quadrado na casa dos R$ 9.409. Somente em novembro, os valores praticados na capital fluminense subiram 0,28%. No ano, a alta acumulada é de 1,3%.

A Cidade Maravilhosa é acompanhada cada vez mais de perto por São Paulo (SP), que acumula valorização de 3,4% no valor do metro quadrado ao longo de 2020, para R$ 9.294. Com a movimentação, se tornar proprietário de um imóvel de 65 m² na capital paulista custa, em média, mais de R$ 600 mil.

Na terceira colocação do ranking aparece Brasília (DF), cidade com um salto de 9,16% no valor médio do metro quadrado construído no acumulado de 2020 (R$ 7.988). Na sequência, Balneário Camboriú (SC), onde cada espaço mínimo de terra é anunciado por cerca de R$ 7.646, é a última cidade com o valor apresentado no índice abaixo da média nacional.

Na outra ponta do ranking, a cidade de Betim (MG) permanece com o metro quadrado mais barato do Brasil (R$ 3.084), após queda de 1,5% nos preços em novembro. O município mineiro é seguido por Pelotas (RS), São José dos Pinhais (PR) e Contagem (MG). Nas localidades, cada espaço mínimo de terra está avaliado por cerca de R$ 3.488, R$ 3.521 e R$ 3.710, respectivamente.

Entre as capitais brasileiras, as três mais baratas para adquirir um imóvel já construído são Campo Grande (MS), Goiânia (GO) e João Pessoa (PB), onde cada metro quadrado construído custa, em média, 4.339, 4.446 e 4.473.

R7