Vacina contra covid-19 da Novavax tem 89% de eficácia, diz estudo

A candidata a vacina contra a covid-19 da farmacêutica norte-americana Novavax tem eficácia de 89,3%, mas responde pior em pacientes infectados com a variante sul-africana do novo coronavírus, causador da doença.

  • Leia outras notícias de saúde

Os dados iniciais da terceira fase de testes clínicos divulgados nesta quinta-feira (28) se baseam nos resultados dos estudos no Reino Unido com 15 mil voluntários. A eficácia se aproxima de 90% apos a administração de duas doses.

Entre os voluntários, 62 contraíram covid-19 e seis deles tinham recebido a candidata a vacina. Cerca da metade dos infectados foram infectados com a variante britânica do vírus.

Os dados de eficácia são similares aos das vacinas já aprovadas nos Estados Unidos, desenvolvidas por Pfizer/BioNTech e Moderna.

Problemas com a cepa sul-africana

Os estudos também realizados pela Novavax na África do Sul com 4,4 mil voluntários mostram uma forte queda da eficácia para 50%. A maioria dos voluntários tinha contraído a variante B.1.351, conhecida como a cepa sul-africana. A análise mostra que os voluntários foram infectados com a nova variante, mesmo depois de contraírem o vírus.

O diretor executivo da Novavax, Stanley Erck, lembrou que esses foram os primeiros dados da fase três.

“O nível de mudança do vírus foi uma surpresa para todos”, argumentou, ao anunciar que a empresa ampliará os testes clínicos no país africano para criar uma versão da vacina só para a variante da região.

Os estudos iniciais de Pfizer e Moderna também apresentam uma resposta pior das vacinas para a variante sul-africana e nem tanto para a britânica, consideradas mais contagiosas.

EFE

FOTO: WU HONG / EFE – EPA – ARQUIVO