Varas Mistas de Catolé do Rocha iniciam procedimento de descarte dos feitos físicos

As três Varas Mistas que compõem a Comarca de Catolé do Rocha deram início ao procedimento de descarte dos processos físicos migrados para o Processo Judicial eletrônico (Pje). No total, foram 441 feitos da área cível, a maioria oriundos da 1ª Vara (350), em seguida foram 60 da 3ª Vara e 31 da 2ª Vara Mista. As unidades judiciais seguem as orientações do Tribunal de Justiça da Paraíba, por meio do Comitê Permanente de Preservação e Gestão Documental. O descarte dos processos físicos já digitalizados tornou-se uma prática permanente no Poder Judiciário paraibano.

Para a magistrada e diretora do Fórum da Comarca de Catolé do Rocha, Fernanda de Araújo Paz, o procedimento do descarte é consequência lógica da migração do acervo para a plataforma eletrônica, ocasionando grandes benefícios para as partes. “Além disso, o descarte traz um melhoria ao ambiente do Fórum, garantindo mais celeridade, transparência e facilitado acesso aos autos”, pontuou.

A gerente do Fórum, Lucimeire de Oliveira Veras Guedes, lembrou que as listagens de eliminação dos processos judiciais da Comarca de Catolé estão sendo publicadas na edição eletrônica do Diário da Justiça para conhecimento das partes. Ela revelou que o descarte dos processos físicos é, sobretudo, uma iniciativa promissora de melhorar o ambiente de trabalho dos servidores. 

“Processos físicos em grandes quantidades, que ocupam muito espaço e se tornam desnecessário, tendo em vista que foram migrados ao sistema, com o passar do tempo vão se acumulando, havendo, consequentemente, a necessidade de lugar para arquivá-los, e tudo isso gera despesas”, afirmou, acrescentando o fato de que o processo de descarte será feito por meio da reciclagem e de forma adequada. “Só vejo vantagens e benefícios”, frisou.

LILA SANTOS/GECOM-TJPB