Veja por que o álcool em gel está mais caro

O álcool em gel é o produto do momento e todo mundo quer ter ao menos um frasco por perto para usar em momentos que não for possível higienizar as mãos com água e sabão. Porém, Balanço Geral Manhã mostrou que os fabricantes do produto estão enfrentando dificuldades para receber alguns itens que fazem parte da fórmula. Além disso, uma das matérias-primas vem do exterior e está mais cara. Entenda!

Em falta nas farmácias de algumas regiões, o álcool em gel é comercializado em uma quantidade limitada ou até mesmo por um preço mais elevado. Hospitais e clínicas têm preferencia na compra do produto, mas mesmo assim, está difícil de suprir as necessidades.

Os fabricantes estão com dificuldade para receber itens que fazem parte da fórmula do álcool em gel, já que uma das matérias-primas essenciais para a produção é importada. A maior empresa produtora que atua no País já ampliou a sua produção em mais de 1000%.

O Dr. Bactéria realça a importância de tomar cuidado com álcool em gel caseiro, já que o exigido é ter 70% INPM (Instituto Nacional de Peso e Medidas) que é a mesma coisa de 77º graus GL. Álcool com teor menor não auxilia na precaução do vírus e pode até aumentar as chances de contaminação.

O especialista alerta que o álcool em gel deve ser feito em farmácias de manipulação, a 77º graus GL ou 70% INPM com 0,5% de glicerina para não ressecar as mãos. Geralmente, o produto fica com um preço mais acessível do que nos comércios. Tanto o álcool líquido doméstico quanto amoníaco não combatem a contaminação por ter ação de limpeza e não desinfectante.

Ao lavar as mãos, é importante usar toalhas de papel descartáveis, já que elas diminuem 40% da contaminação. Secadores automáticos aumentam as chances em até 200%, pois concentra todas as bactérias do local no “vento” que auxiliar na secagem.

R7